quinta-feira, 22 de outubro de 2015

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

O Verdadeiro Evangelho

Cada vez que vejo um evangelho pregado que não traz arrependimento de pecados, não fala do amor ao próximo, não apresenta a cruz, nem o sacrifício de Cristo, muito menos sua Graça e Salvação. Penso naqueles que arrebanham multidões para o abismo, por trás estão seus interesses através de "sinais", "prodígios", "curas", "prosperidades", enfim, distorções da Palavra para atender os mesmos interesses, seguidos da vaidade, o orgulho e a ganancia. Dizem paz! paz! quando não há paz (Jeremias 8.11). Um evangelho falso que não passa disso, aliás só apresenta isso, em detrimento da verdade. Lembro-me das palavras de Jesus ao final do sermão do monte:

"...Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!
"Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? ’
Então eu lhes direi claramente: ‘Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal! ’ "
"Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha..."
Mateus 7:20-24

Abra os seus olhos para a verdade que é Cristo, lembre-se que a sua mensagem é de arrependimento e mudança de vida, é amor a Deus acima de tudo e ao próximo como a você mesmo, é Salvação para os que creem e se submetem ao seu senhorio porque é soberano e à sua vontade que é boa, perfeita e agradável. A sua graça produz em nós, além do arrependimento a compreensão dessa verdade e à missão de compartilhá-la com outros.
Compartilho com você a Música "o Evangelho" de Paulo Cezar - Grupo Logos.

Deus te abençoe!

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Vivendo a Verdade!

Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer? ’ ou ‘que vamos beber? ’ ou ‘que vamos vestir?
Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas.Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas. [Mateus 6:31-33]
Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. [João 13:34]

Ao refletir sobre as comemorações de final de ano, fico a pensar sobre o quanto não somos sinceros conosco mesmo e o quanto muitas vezes vivemos de palavras e não verdade. Dizemos "está tudo bem", quando na verdade não está, trocamos desejos e realizações nessas épocas e quando a festa termina, parece que alguns voltam a sua realidade e tudo o que foi dito ou ouvido, em nada altera no cotidiano, vivemos muito mais a inverdade do nosso eu, do que propriamente a "verdade" das nossas palavras, que deveriam expressar o que de fato somos e vivemos. Problemas de aceitação de si mesmo, relacionamentos quebrados, medos, dúvidas, incertezas, traumas, ansiedade, enfim. Voltamos a catar cada pedacinho do vidro quebrado da nossa vida. A realidade do ser humano parece mesmo ser essa, buscando momentos de alegria e prazer, mesmo que sejam passageiros, mesmo que não sejam verdadeiros, para ofuscar uma realidade ou um vazio interior. As vezes me preocupo com o que as nossas palavras de fato expressam de nós, quando dizemos feliz isso, feliz aquilo, e aí vem realizações, prosperidades, bênçãos, etc. Será que entendemos que essas palavras que tanto reproduzimos, embora tenham a sua importância e o seu lugar na vida, expressam felicidade ou que Deus está realmente nos abençoando? Quero encorajar você a renovar suas motivações e a buscar em Deus a transformação daquilo que precisa ser transformado dentro de você, reflita se de fato você tem vivido as palavras que pronunciou nesses dias, porém se as vivessem estaria realizado? Creio que viver de verdade é viver a verdade, a verdade é Cristo em mim e em você. Deixando um pouco de lado as coisas dessa terra, e buscando as coisas lá do alto, é preciso amar mais, perdoar mais, doar mais, ceder mais, ajudar mais, priorizar mais aqueles que estão a nossa volta, mãe, pai, filho, filha, marido, esposa, amigos, enfim todos... Onde Deus precisa estar no centro da nossa vida. Assim nossos sonhos não serão verdade, mas a verdade estará em nossos sonhos, é diferente e real, não seremos perfeitos ou deixaremos de ter os nossos problemas e dificuldades, mas viver a verdade não tem preço, buscar a Deus em primeiro lugar é alcançar o prazer naquilo que vale a pena, que nos fará viver melhor. Como na música de Toquinho: "...poucas coisas valem a pena, o importante é ter prazer...". Amar ao próximo é também amar a Deus e isso produz algo em nós, nossas palavras serão bem diferentes, desejaremos coisas bem diferentes e a verdade estará naquilo que pronunciamos porque de fato será aquilo que vivemos. Eu espero que Deus renove a sua vida e as suas motivações e transforme cada pedacinho do vidro que se quebrou em um lindo objeto, talvez um coração que represente uma nova vida onde o Amor está acima de tudo. Pois aquilo que semearmos certamente colheremos. E quanto aos seus objetivos e propósitos para este ano, coloque-os diante de Deus em oração, para que Ele os realize segundo o seu querer o que de fato será o melhor para a sua vida e se ainda não realizar, ainda sim Ele estará te abençoando.

Deus abençoe a sua vida e nos ensine a viver a verdade!

(texto de Luiz Cesar, escrito em 2012).

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

SETEMBRO...


Setembro, o seu nome vem da  palavra latina septem, sete.
Pois era o sétimo mês do calendário romano, que começava em Março.
O sétimo, talvez o mais perfeito dos meses,
Por sua beleza, seu encanto, suas flores,
Flores que trazem a alegria da natureza,
A perfeita criação de Deus, a primavera.
Tempo de brotar, nascer, viver e florescer.
Brotar o amor, nascer o perdão quem sabe até de si mesmo,
Viver o melhor dessa terra,
Renascer para o próprio criador,
Aquele que criou todas as coisas e a cada amanhecer
renova as suas misericórdias, seu amor e a sua fidelidade,
Amor este, que uma vez em nós, nos faz amar ao próprio criador,
A nós mesmos e ao próximo.
E assim vivermos um novo tempo
Apesar dos espinhos da vida,
Um tempo de alegria e flores,
Sob o seu cuidado e a seu tempo,
Sim, a seu tempo...
Como uma boa nova em momentos  de crise,

Setembro...

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pastagens Verdes...


Pastagens verdes não eram o relevo natural da Judéia. Os montes à volta de Belém, onde Davi guardava o seu rebanho, não eram verdes e viçosos. Ainda hoje, são pálidos e tostados. Qualquer pasto verde na Judéia é trabalho de algum pastor. Ele limpou o terreno tosco e rochoso. Os tocos foram arrastados, e os galhos, queimados. Irrigação. Cultivo. Assim é o trabalho de um pastor.
Portanto, quando Davi diz: "Deitar-me faz em verdes pastos", está dizendo: "Meu pastor me faz deitar em seu trabalho terminado". Com as próprias mãos furadas, Jesus criou um pasto para a alma. Ele arrancou a espinhosa vegetação rasteira da condenação. Desprendeu o imenso seixo de pecado. Em seu lugar, plantou sementes de graça e cavou tanques de misericórdia.
E Ele convida-nos a descansar lá. Você pode imaginar a satisfação no coração do pastor quando, com o trabalho terminado, vê suas ovelhas descansar no gramado tenro?
Pode você imaginar a satisfação no coração de Deus quando fazemos o mesmo? Suas pastagens são uma dádiva para nós. Não é um pasto que você tenha feito. Nem é um pasto que você mereça. É um presente de Deus. "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus" (Ef 2.8).
Em um mundo pedregoso, com uma humanidade falha, há uma terra viçosa com mercê divina. Seu Pastor a convida para lá. Ele quer que você se deite. Aninhe-se profundamente, até ficar escondida, enterrada, nos altos brotos do seu amor, e lá você achará descanso.

(extraído do livro "Aliviando a bagagem de Max Lucado)

domingo, 27 de janeiro de 2013

Lamentações e Esperança


Meus olhos estão cansados de chorar, minha alma está atormentada, meu coração se derrama, porque o meu povo está destruído, porque crianças e bebês desmaiam pelas ruas da cidade. 
Lamentações 2:11

Diante do que vi, ouvi e li hoje, diante de uma situação de tanta tristeza para tantas pessoas, e porque não dizer pra todos nós, me faz lembrar do Profeta Jeremias ao se lamentar diante da devastação de Jerusalém, da fome, das perdas e do sofrimento do seu povo.

Não é tempo de questionamentos, mas de oração e amor ao próximo. Não é tempo de   buscar culpados, nem tentar explicar o inexplicável, onde só Deus poderia fazê-lo, Muito menos é tempo de tentar imputar culpa ou pecado às pessoas, isso só Deus pode fazer, e jamais Ele fará segundo a nossa forma pensar.

Então nos resta dizer como o profeta: "quero trazer a memória o que me pode dar esperança", isso é o que deve ocupar a nossa mente nesse momento. E o que nos pode dar esperança? As misericórdias do Senhor que se renovam a cada manha, inclusive na manhã de hoje, o seu grande amor e a sua fidelidade que vai de geração em geração.

Embora ele traga tristeza, mostrará compaixão, tão grande é o seu amor infalível. 
Lamentações 3:32

Deus console a cada um dos seus filhos que agora sofrem a perda de seus queridos, e nos faça agir como servos verdadeiros que buscam viver como o mestre, JESUS e não como juízes.

Mesmo diante das lamentações e tristezas, há esperança e não outro lugar para encontrá-la senão em Deus. É tempo de orar!

Paz!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Jesus, O Mestre Da Vida.


Vendo as multidões, Jesus subiu ao monte e se assentou. Seus discípulos aproximaram-se dele, e ele começou a ensiná-los... [Mateus 5:1-2]
Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino, porque ele as ensinava como quem tem autoridade, e não como os mestres da lei.
[Mateus 7:28-29]

O vocábulo mestre vem do termo grego didaskalos, que quer dizer "professor", “mestre” ou aquele  que transmite um conhecimento.
Rabino - título dado a uma pessoa mestre em direito judaico, na lei ou torah.
Em israel os mestres eram distintos pelo conhecimento e conhecimento da vida era comum ensinarem não só na sinagoga como em todos os lugares, sua principal virtude era o conhecimento, nem sempre acadêmico, mas o conhecimento da vida, a sabedoria, onde ensinar a arte de viver era mais importante que a própria vida. Eram exemplos para aqueles que os seguiam, seus discípulos que ainda quando crianças recebiam o ensinamento da lei, e tão logo cresciam, já conheciam seus mestres e com eles aprendiam sobre a vida.
Jesus era o mestre dos mestres, ensinou na maior parte do seu ministério, quebrando todos os paradigmas de sua época, quebrou os aspectos da religião fria e morta, priorizando não o exterior, mas o interior do homem, valorizando o ser humano e igualou a todos sob a ótica do amor, sem preconceito algum.

Sua mensagem tinha três importantes focos:  o pai, aquele que o enviou e o guiava, a quem seus discípulos e seguidores haviam de aprender a relacionar-se, como a mulher de samaria. (Jo 4.23,24), o povo, aquele a quem o mestre chamava ao arrependimento, a nova vida, seguidores discípulos. (Mt. 11.25-27), e  Ele mesmo,  o Cristo, o Ungido, o Escolhido, o Messias prometido de Israel, o Mestre. (Mt. 16.13-16).

Mas os principais temas do ensino do mestre foram:

O Reino Dos Céus – Mt. 13.31,32
Jesus estabeleceu o seu reino na terra, a sua justiça, o reino do amor e da paz. E mesmo tão “pequena” diante do império romano, haveria de crescer a semente plantada por Ele, como o grão de mostarda, semente esta tão pequena, mas capaz gerar árvores de até 3 metros de altura.
O que você jogaria para alimentar um fogo, lenha ou sementes? Certamente Jesus optaria pela semente.
A semente apesar de ser capaz de produzir algo, talvez, mas lentamente, certamente produzirá crescimento, desenvolvimento e permanecerá para dar frutos e multiplicar-se. Mantendo assim acesa a chama do Espírito em nossas vidas.
Assim Ele coloca cada um, seus seguidores, seus discípulos, sua igreja, eu e você como agentes desse reino. Ou seja, muitos e de todas as nações haverão de ouvir a mensagem desse reino, através da minha e da sua vida, e seguir o mestre, mesmo diante de tanta confusão e engano.

"E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.
Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim".
(Mateus 24:14;46)

A Salvação Pela Graça – (Jo 5.24)
Chamando os pecadores para si, seus escolhidos, aqueles que ouvem a sua voz e compreendem a mensagem do seu reino, e o reconhecem como o messias, em arrependimento, como a mulher na casa de simão (Lc.7), o leproso que voltou dos  dez curados (Lc. 17), a mulher enferma que o tocou (Mc. 5), enfim aqueles que  ouviram da parte do mestre: “a tua fé te salvou.”, a salvação vem pela fé em cristo. (At. 4.12)

A vida prática, a ética cristã  - Mt. 5-7
Segundo champlin, jesus é o novo moisés, seus ensinos a nova lei. Certamente o sermão do monte, um dos 5 blocos de discursos do mestre, registrados em mateus, até mesmo antes dos registros de milagres, é o mais longo e profundo em seus ensinamentos práticos, jesus se preocupava com a conduta e a ética de seus seguidores. Ensinando sobre o amor, a oração, a verdadeira felicidade e as relações do homem com Deus e com o próximo.

O desejo do mestre é que  cada um de nós vivamos a verdade, a verdade que é cristo, é preciso andar como ele, amar como ele, viver como ele. Libertos, livres pela graça, livres para adorá-lo não mais pela imposição da lei, mas sob a graça que nos trás o prazer e alegria de servi-lo por amor, agradecidos porque fomos agraciados, amando porque ele  nos amou primeiro, perdoando porque ele nos perdoou e foi transpassado pelas nossas transgressões.
Seja assim um verdadeiro discípulo do mestre, ore dizendo: “ senhor, eu preciso ter um coração igual ao teu”.